Plano De Estudos Para Concursos

Plano De Estudos Para Concursos.

Plano De Estudos Para Concursos.
Plano De Estudos Para Concursos.

Em primeiro lugar

vejamos o contexto em que me encontrava quando iniciei no “mundo dos concursos públicos”. Estudante oriundo de escola publica, com nenhum concursado na
família, com filhos e tendo que conciliar trabalho com estudo,eu dei um up nos ESTUDOS de forma em geral quando elaborei meu primeiro Plano De Estudos Para Concursos.

Assim, realmente,
não era muito fácil achar que tinha
condições de ser juiz concorrendo com
outras pessoas que não tivessem esses
“obstáculos”.
Dessa forma, foi por não ter acreditado em mim no início, subestimando minha
capacidade, achando que os outros eram sempre melhor do que eu, seja porque alguns
não trabalhavam e tinham mais tempo para estudar, seja porque eram oriundos de
escolha particular, que fiquei 07 anos sem iniciar um curso superior.

 Somente aos 25 comecei a pensar em montar meu Plano De Estudos Para Concursos.

 Mesmo assim (mantendo em parte o 1º grande erro), tinha como meta ser apenas Técnico do TRF (que é um cargo excelente, claro),
acreditando que não poderia ir além disso (Ex.: ser juiz, promotor, delegado, etc.), pois,
casado, com filhos, trabalhando e estudando e oriundo de escola pública, certamente
“não teria condições de concorrer” com alunos de escola particular, sem filhos e que
só estudavam (esse era meu pensamento).
Esse foi meu grande engano, desenvolvi formas de estudar direito
(corretamente), com métodos e estratégias adequados, otimizando tempo e o conteúdo,apenas fazendo um Plano De Estudos Para Concursos.
percebendo após alguns meses que, às vezes, 02h de estudo por dia (se estudados de
forma correta) pode ser melhor do que 08h do seu concorrente, ainda que você
trabalhe e estude, tenha filhos e seja oriundo de escola pública.
Nesse passo, acredito que decolei nos estudos.

Já no fim do 1º ano da faculdade,
passei para Técnico do Banco Central – BACEN, em seguida, no fim do 2º ano, fui
aprovado em 1º lugar para Técnico do TRF 5º e, mesmo sem ter chegado à metade do
curso superior, passei para Delegado de Polícia, sendo que na primeira fase fiquei em 14º
lugar.

2º Grande Erro que cometia e não conseguia, fazer um  Plano De Estudos Para Concursos.

Já ouvi dizer que passar em concurso público é como se fosse seguir um percurso que se tem que fazer de um lugar para outro, isto é, estudar para concurso é como se fosse, por exemplo, querer sair de Belo Horizonte/MG e ir até São Paulo/SP (a distância, se mais longe ou mais perto, depende do cargo que você quer chegar). Dizem que se sempre caminhar um dia chegará lá. Digo que isso não é totalmente a verdade, pois não é bem assim.

Se for desse modo que pensa, também está errado. Sempre faço uma analogia do caminho a ser percorrido por um concurseiro até a aprovação como se ele estivesse em um rio, nadando contra a correnteza, tentando ir de um lugar para outro que é seu objetivo (Ex: sair de BH e ir até São Paulo), ou seja, quando você fica algum dia sem estudar, na verdade, você não ficou parado no tempo, mas sim, foi levado para trás (lembre-se! você está nadando contra a correnteza do rio e não andando em uma estrada).

POR QUÊ?

Vejam, todo conhecimento adquirido diariamente “vai embora” com o tempo, em outras palavras, se é verdade que todo dia que estuda, aprendemos alguma coisa, também é verdade que nos esquecemos do que se estudou dias atrás. Para explicar melhor, vamos fazer de conta que a correnteza do rio tem uma velocidade de 3 km por dia (esse será o conhecimento que esquece todos os dias), logo, você vai nadar todos os dias a uma velocidade de 04 km por dia, ou seja, se o rio te leva 3 km para trás todos os dias (conhecimento esquecido) e você nada 04 km (conhecimento adquirido), então, na verdade, sua velocidade diária será de 1 km, assim, se a distância
de Belo Horizonte até São Paulo for de 500 km, você levará 500 dias para chegar ao
destino (SUA APROVAÇÃO).

E o que acontece se eu não estudar todos os dias?

Lembrem-se do exemplo do rio. Ele te leva para trás 3 km por dia, ou seja, se você estudando diariamente talvez só consiga avançar 1 km por dia (sua velocidade menos a do rio, ou seja, 4-3=1). Assim, a cada dia que você fica sem estudar o rio te leva 03 dias para trás e você passará mais 03 dias para recuperar e voltar para o nível que estava há alguns dias. Exemplificando, se você estudar segunda, terça, quarta e quinta você terá caminhado 4 km (saldo da semana), mas se você não estudou na sexta-feira (lembrem-se que o rio vai te levar para trás 03 dias), voltará ao estágio de aprendizado que estava na segunda-feira (perdendo o que estudou na quarta, quinta e sexta).

Resultado: uma pessoa que estudou os 05 dias, termina a semana com saldo de 5 km e você que ficou somente um dia sem estudar, com saldo de 1 km, pois ganhou 4 e perdeu 3. Claro que a regra não é exatamente assim, mas é bem parecida com os exemplos que dei para ilustrar a aquisição do conhecimento. Essa é uma das razões de algumas pessoas estudarem anos e não conseguirem a aprovação e outras, mais focadas, alcançarem a aprovação em menor espaço de tempo. Portanto, depois que superei esse 2º grande erro e passei a estudar todos os dias (de domingo a domingo), apenas controlando a quantidade de tempo em cada dia (Ex: domingo estudava logo cedo e quando os filhos acordavam às 9h, já tinha estudado minhas 4h, não prejudicando o dia de lazer), dei um grande passo para meu histórico de aprovações descrito ao final.

Não adianta estudar todo o Plano De Estudos Para Concursos de maneira uniforme.

Sem priorizar os pontos mais relevantes para o cargo a que vai disputar, sem entender se deve estudá-los de maneira mais aprofundada ou superficial (Ex.: só letra da lei, doutrina, jurisprudência ou todos eles).

Cito como exemplo que mesmo para uma banca como CESPE, que adora jurisprudência, em algumas matérias (ou seus assuntos) há uma tendência de cobrar mais a letra da lei e apenas para parte dessa matéria é que você deve aprofundar o estudo com doutrina e jurisprudência. Ora, como se observa, meu terceiro e grande erro, no início, foi não estudar a banca e as tendências das questões para o cargo antes de começar a estudar para o concurso, o que me fez “apanhar muito”, algumas vezes até desistindo de fazer concursos. Lembrem-se, passei praticamente 05 anos sem fazer concurso público algum.

3º Grande Erro.

Não basta só estudar os assuntos mais relevantes, como já explicado, “amolando bem o machado”. É preciso mais, evitando cometer outro erro. Cada um de nós estamos em estágios de conhecimentos diversos, seja pelo tempo que cada um já está estudando, seja pelo direcionamento a concursos diversos (cargos com matérias bem diferentes) ou mesmo para quem está iniciando, em relação a todos os conhecimentos obtidos ao longo da vida.

Ninguém normalmente consegue estudar o edital inteiro, principalmente para cargos mais exigentes, então, ao decidir que vai se preparar para disputar uma vaga para determinado concurso (ou mesmo quando já aberto o edital), ninguém pode já ir começando a estudar sem antes se conhecer primeiro, ver em que estágio de conhecimento se encontra, quais os assuntos (ou matérias) que está com maior deficiência e, principalmente, qual o percentual (%) de conhecimento que falta para que, em tese, você, caso tivesse se preparado para aquele concurso, teria que melhorar para ocupar a última vaga.

E como eu faço para descobrir isso?

Vamos a um exemplo prático para que entendam melhor citando um dos casos que aconteceu comigo, entre tantos outros: (lembrem-se: fazia isso para cada concurso que disputava, não importa se já era ou não um concurseiro experiente, esse erro você não pode cometer). Exemplo: ao tomar posse no cargo de Delegado de Polícia em Pernambuco, devido ao acúmulo de serviço da função, praticamente passei um ano sem estudar (mal conseguia ler notícias jurídicas do STJ e STF e ler os informativos, nem pensar). Então, fui nomeado no cargo de Oficial de Justiça Federal, concurso que tinha passado um ano antes de ser delegado, no qual tomei posse e retomei os estudos. Logo em seguida abriu concurso para Promotor de Justiça. Assim, qual foi o primeiro passo para estudar o edital? Como já falei, foi se autoconhecer.

Ainda mais se você quer organizar um ótimo Plano De Estudos Para Concursos,pois isso envolverá muito mais dedicação e disciplina do que todos pensam.

Plano De Estudos Para Concursos.

4º Grande Erro.

Não existe fórmula mágica para ser aprovado em concurso público, é preciso bastante dedicação e, claro, utilização das técnicas corretas. O tempo, na maioria das vezes, é o grande inimigo do concurseiro, pois, nem todos têm a quantidade de horas livres que deseja. Não obstante, por mais tempo livre que uma pessoa tenha, temos limitações físicas e mentais, não suportando estudar uma quantidade enorme de horas por dia. Desse modo, para se preparar para um concurso público é preciso estudar de forma bem antecipada, sendo um enorme erro esperar a abertura do edital. A maioria dos concursos apresenta um conteúdo programático muito parecido, muitas vezes, acredito que de 70 a 90% iguais, variando de um cargo para outro.

Isso significa dizer que dá para, de forma bem antecipada, ir estudando esses assuntos, enquanto aguarda a publicação do edital. Acreditem, a maioria das pessoas que presta concurso não faz isso, ou seja, somente estudam para o concurso quando divulgado o edital. Assim, como normalmente são de dois a três meses para a prova, a reprovação é quase certa, podendo frustrar e desmotivar o candidato.

Prepare seu projeto de aprovação para no mínimo um ano depois de iniciado
os estudos. Não há problemas em fazer outras provas nesse período, mas sempre as
encarando como “um jogo amistoso” que serve de preparação para disputar a “copa do
mundo”, assim também evitando frustrações com as derrotas e impedindo que desista de
estudar, como fiz várias vezes, somente conseguindo iniciar e continuar um projeto de
estudo depois de 05 anos, fazendo uma ou outra prova, sempre cometendo o erro de
estudar após a abertura do edital.

Plano De Estudos Para Concursos.
Plano De Estudos Para Concursos.

A disciplina Plano De Estudos Para Concursos.

É uma das coisas mais importantes na vida de um aluno. É fundamental seguir a disciplina na Escola. Junto com a educação, os alunos devem aprender a disciplina na Escola porque sem a disciplina; os alunos não podem ser bem educados. Disciplina pode ser considerada como o potencial dos alunos para fazer algo ou terminar sua tarefa em um tempo determinado. O significado da disciplina é manter o controle para que os alunos possam atingir seus objetivos. A disciplina na vida dos alunos atrai todas as coisas certas e, por causa disso, os alunos obtêm sucesso em cada área de sua vida. Na vida de um aluno, a disciplina é sempre servida como um guia para se concentrar em seus objetivos. A vida disciplinada é classificada por sucesso, eficiência e melhor gerenciamento do tempo,para você conseguir elaborar um ótimo Plano De Estudos Para Concursos.

1°- Gerencie seu tempo.

Se os alunos seguirem a disciplina de uma maneira melhor, eles poderão administrar seu tempo de maneira significativa. A boa disciplina ajuda os alunos a fazer todas as tarefas no prazo, em vez de desperdiçá-las. Se os alunos não são disciplinados, perdem todo o seu precioso tempo fazendo coisas desnecessárias. Estabeleça o cronograma adequado e faça as coisas de acordo com esse cronograma.

2° – Fique ativo

Uma boa disciplina gera uma atitude positiva nos alunos, o que é o mais essencial que os alunos precisam em suas vidas. A disciplina também cria confiança e entusiasmo nos alunos. Por causa dessas coisas, os alunos se tornam ativos em cada área de sua vida. Existem muitos hábitos disciplinados pelos quais os alunos se mantêm ativos, como fazer exercícios regularmente, comer bem e dormir na hora certa.

3°- Ser Focado no Plano De Estudos Para Concursos.

A disciplina ensina os alunos a serem focados e motivados em seus estudos, bem como em outros campos de sua vida. Os alunos com objetivos fortes são mais focados. Se os alunos não forem disciplinados, será difícil para eles se concentrarem em seus estudos. A maneira magnífica de se manter motivado é anotar todos os objetivos de estudo que deseja alcançar na vida. Fazendo isso, você definitivamente ficará motivado e alcançará esses objetivos em sua vida.

4°-Autocontrole

Se os alunos são disciplinados, eles têm mais autocontrole. Os alunos precisam de autocontrole ao falar com seus professores ou idosos. Então, se eles não ficam na disciplina, eles não têm autocontrole e isso se torna desagradável para eles. Os alunos devem usar as palavras com cuidado ao falar com alguém, por isso eles também constroem boas relações com os outros.

ÚLTIMO ARTIGO DO SITE : http://engplanilhas.com.br/como-calcular-o-revestimento-para-piscina-redonda/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *