Como criar um projeto luminotécnico

Vamos fazer seu projeto luminotécnico hoje? A seguir, você verá alguns passos a seguir para fazer isso assim que desejar. Sendo assim, vamos dar uma olhada para começar agora mesmo?

Banner 2 da planilha de Iluminância de Interiores

Passo 1: o desenho do plano luminotécnico

Desenhe o plano de cada cômodo da casa e indique a localização dos elementos fixos (janelas, porta, lareira etc.). Também desenhe as maiores peças de mobiliário (sofá, mesa da sala de jantar, estante etc.). 

Não esqueça a TV!

Uma dica extra é desenhar o plano de escala, p. ex. 1:50 (1 cm no papel = 50 cm na realidade), para obter uma boa visão geral das coisas.

Passo 2: Já fez a sua lista?

Liste todas as atividades que ocorrem na área coberta por seu plano luminotécnico. Pode haver vários por quarto, dependendo da hora do dia.

Por exemplo: Na mesa da sala de jantar, trabalhamos e cumprimos o dever de casa e, à noite, fazemos refeições. Na sala, recebemos visitas, mas também assistimos TV.

Banner 2 da planilha de Iluminância de Interiores

Defina também para cada espaço se houver elementos a serem destacados (uma tabela, fotos, uma planta, um detalhe arquitetônico etc.).

Passo 3: aprendendo a identificar cada elemento

Agora indique os diferentes tipos de iluminação que você precisa. Use uma cor ou símbolo por tipo para manter tudo legível.

Comece com iluminação geral (por exemplo, luzes de teto e focos). Posicione-os de forma que os círculos claros se sobreponham parcialmente, para garantir uma transição suave e uniforme entre as áreas.

A quantidade de iluminação geral necessária depende do espaço em si (uma sala com paredes escuras precisará de mais iluminação geral do que uma sala com paredes claras) e do tipo de iluminação escolhida (luzes e fontes de luz).

Em seguida, indique o local da iluminação específica (por exemplo, biblioteca ou pinturas penduradas nas paredes) e iluminação funcional (por exemplo, uma área de leitura no sofá).

Em seguida, determine onde você colocará a iluminação ambiente. Aqui, leve em consideração as alturas e locais (por exemplo, ao nível do solo na sala de estar, em um guarda-roupa perto da mesa de jantar etc.).

Passo 4: cada detalhe é importante

Leve também em consideração chaves e soquetes existentes ou indique onde eles devem ser fornecidos (no caso de construção ou transformação). 

Certifique-se de que os diferentes tipos de iluminação possam ser controlados independentemente um do outro, para que você possa levar em consideração a atmosfera do local.

Banner 2 da planilha de Iluminância de Interiores

Pense também em instalar algumas luminárias com dimmers, que permitirão adaptar a intensidade da luz a cada situação. 

Por exemplo, acima da mesa da sala de jantar, a luz direta é útil para trabalhar, mas pode ser reduzida para as refeições.

Etapa 5: Escolhendo as lâmpadas

Agora escolha as luminárias e os tipos de lâmpadas. 

Deixe-se guiar pelo seu plano de iluminação, levando em consideração sua decoração e suas preferências pessoais (por exemplo, luminária bonita ou local sóbrio acima da mesa da sala de jantar etc.).

Lembre-se de que se a luminária contribui para a estética do seu interior, as lâmpadas (LED, econômicas etc.) também contribuem para criar a atmosfera por suas características específicas (temperatura, cor etc.).

Projeto de iluminação de sala de estar: Tipos de luz e soluções ...

Algumas dicas adicionais:

É claro que não podemos esquecer as dicas para ter um projeto luminotécnico bem-sucedido! Sendo assim, vamos lá.

Dica 1: Iluminação ‘ergonômica’

As lâmpadas que acendem ao anoitecer ou quando você entra em uma sala e as lâmpadas que você controla remotamente podem ser uma boa ideia para se adaptar a todas as situações da vida.

Mas para isso, também temos:

  • Sensores de brilho

Sensores de brilho medem a quantidade de luz na casa. Se houver luz do dia suficiente, nada acontece. 

Mas quando está escuro ou nublado lá fora, sua iluminação acende automaticamente. Com os dimmers, você pode até determinar a intensidade.

  • Detectores de movimento
Banner 2 da planilha de Iluminância de Interiores

Quando você conecta um detector de movimento à sua instalação de iluminação, ele é mais econômico e traz mais conforto. A luz só acende quando alguém está presente na sala? 

Não há mais desperdício de energia.

Sensores de luz são menos úteis em salas escuras. É preferível usar detectores de movimento lá. Isso aumentará ainda mais seu conforto, porque tudo acontece automaticamente. 

E se você quiser intervir manualmente, isso é obviamente possível.

Dica 2: obter uma opinião profissional

Você pode procurar aconselhamento de um profissional na área. Para um plano de iluminação, ele começará com a instalação de iluminação existente.

Ao desenvolver este plano, ele levará em conta as possibilidades de conexão e os pontos de luz existentes.

Ele lhe dará conselhos sobre como tornar sua energia de iluminação eficiente.

Dependendo dos seus gostos e desejos, ele mostrará algumas lâmpadas e luzes LED. Dessa forma, você pode ter certeza de que possui iluminação de qualidade.

Dica 3: Orçamento

Você escolhe luzes mais baratas ou prefere um modelo de design? Discuta também seu orçamento com seu profissional. 

Ao fazer isso, você já terá um plano com mais informações sobre lâmpadas e luminárias e seus preços correspondentes.

Banner 2 da planilha de Iluminância de Interiores

Para iluminar toda a sua casa, você já terá muitas coisas a fazer com um orçamento básico. 

Conclusão

O que acha de começar a iniciar seu projeto luminotécnico hoje mesmo? Isso é possível sim, se você seguir essas dicas e os passos apresentados. Que tal fazer isso agora mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *