A grande importância da boa escolha da iluminação residencial

Fazer boas escolhas na hora de planejar a iluminação residencial é algo indispensável, e que precisa de bastante atenção para não cometer erros.

Os próximos tópicos irão lhe trazer algumas informações essenciais para entender mais sobre o assunto e fazer escolhas realmente boas.

A importância da iluminação residencial

Uma boa iluminação pode tornar a casa confortável, agradável e funcional, onde arte e arquitetura são destacadas e onde familiares e amigos gostam de visitar. 

A iluminação pode ser eficiente e eficaz. Eficaz para criar uma atmosfera, iluminar um espaço de trabalho ou proporcionar uma sensação de segurança. 

Eficiente se permitir usar menos energia enquanto fornece os efeitos desejados. A iluminação residencial eficiente e eficaz requer uma mistura de habilidades artísticas e científicas.

Então, o que pode tornar um quarto aconchegante, uma casa convidativa ou um paisagismo atraente? Como a luz afeta as cores? Que tipos de luzes são usadas em lugares diferentes? 

Como determinar a eficiência energética e os custos relacionados a diferentes tipos de iluminação? Quais são todas as perguntas que precisam ser respondidas para criar uma boa iluminação residencial?

Embora a resposta pareça simples, pode ser que você continue com essa curiosidade. Vamos ver então alguns detalhes para entender melhor.

Como a luz nos ajuda a ver?

Os quatro principais fatores que afetam nossa capacidade de ver claramente são: tamanho, luminância, tempo e contraste. Embora a visão de todos mude com o tempo, aqui estão algumas regras gerais. 

À medida que envelhecemos, nossos olhos perdem sua acuidade visual e, para remediar isso, devem ser feitos ajustes. Por exemplo, para ler um livro ou usar um computador.

Luz adicional (luminância) também é necessária para compensar a perda de elasticidade da lente. Aos 50 anos, precisamos do dobro da luz que aos 20. 

O tempo também desempenha um papel na visão; por exemplo, ao dirigir um veículo, temos um tempo limitado para focar em um objeto e precisamos registrá-lo para vê-lo corretamente. 

Com a idade, esse tempo de desenvolvimento é mais longo. 

Finalmente, o contraste entre o objeto no qual estamos focando e o contexto imediato nos permite ver melhor, e esse contraste se torna cada vez mais importante com a idade. 

Além disso, à medida que nos tornamos cada vez mais sensíveis ao brilho, precisamos que o excesso de luz seja espalhado,

Opções de iluminação

Em geral, costumamos usar os termos “lâmpada” e “fonte” para nos referirmos aos elementos de iluminação de luminárias que produzem a luz de que precisamos. 

Cada lâmpada possui características diferentes que ajudam a determinar a aplicação mais adequada. Vários tipos de lâmpadas são adequados para uso residencial. 

As mais comuns são lâmpadas incandescentes e fluorescentes, mas as lâmpadas de diodo emissor de luz (LED) estão começando a entrar no mercado.

A tabela abaixo apresenta a maioria dos tipos de lâmpadas comuns e compara o consumo de energia, a reprodução de cores, a vida útil e os usos convencionais. 

Modern Rustic Living Room Makeover - Angela Marie Made

O que é rendimento?

Para um equipamento de iluminação, eficiência é uma medida da luz dispersa pelo equipamento em relação à quantidade de luz produzida pela fonte. 

Por exemplo, se uma lâmpada fluorescente compacta fornece 1000 lúmens, mas, quando instalada em um dispositivo, fornece apenas 600 lúmens, diz que a eficiência do dispositivo é de 60%. 

Podem existir variações significativas entre diferentes fabricantes e dentro de cada fonte.

É importante saber como calcular o custo da iluminação para comparar as diferentes opções do ponto de vista econômico. Você precisa saber três coisas:

  • A potência da fonte, em quilowatts (kW) ¹.
  • A duração do uso da fonte, em horas (h).
  • O preço da eletricidade, em centavos (¢) por kWh.

Custo anual = kW × horas de uso anual × tarifa de eletricidade

Kil 1 quilowatt = 1000 watts

Mesmo que o preço da eletricidade seja fixo, você pode melhorar o desempenho da iluminação determinando os lúmens necessários e escolhendo uma lâmpada de substituição com baixo consumo de energia.

Como escolher as luzes?

Em muitos casos, escolhemos uma luminária simplesmente porque gostamos. No entanto, consumir muita energia ou não difundir a luz na área desejada, não é a melhor opção.

As luminárias permitem evitar reflexos, direcionar a luz para os locais desejados e oferecer um local discreto para reatores e transformadores; além disso, eles fornecem uma estética atraente.

Outro aspecto importante na escolha de uma luminária é a cor produzida pela luz. O índice de reprodução de cores (CRI) é avaliado em uma escala de 0 a 100 e descreve o efeito de uma fonte de luz específica na cor aparente dos objetos.

A temperatura proximal da cor (TCP) de uma lâmpada descreve a atmosfera criada pela iluminação: a sala se banha com luz quente ou fria. 

A escala de temperatura Kelvin é usada para classificar as fontes de luz: quanto maior o número de Kelvin, mais fria a fonte de luz.

Acrescente a isso uma ampla seleção de cores, acabamentos de superfície, locais e modelos de dispositivos, e você ficará rapidamente impressionado. 

É conveniente classificar as luminárias em categorias gerais: iluminação de superfície, suspensa, embutida, de esteiras, portátil, paisagística e de fibra óptica.

Conclusão

Como você viu, pensar e planejar a iluminação residencial é de suma importância. Por isso, jamais devemos deixar de pensar nos detalhes com antecedência, jamais negligenciando os seus conhecimentos e as dicas que você aprendeu nesse e em outros posts deste blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *